Vocacional Oblata

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Mundo tem 2,5 milhões de novos casos de HIV por ano.


Estudos feitos neste ano, mostraram que cerca de 2,5 milhões de pessoas ainda são infectadas pelo vírus do HIV, todos os anos, ao mesmo tempo em que as novas drogas têm reduzido a taxa de mortalidade relacionada ao vírus e os soropositivos têm vivido cada vez mais. 

O número de novas infecções estacionou nos últimos 10 anos - depois de uma queda drástica após o pico registrado em 1997, quando 3,3 milhões de pessoas foram infectadas.

O estudo foi publicado em meio à Conferência Internacional de Aids, que está em curso em Durban, na África do Sul. O relatório fala em um "cenário preocupante de progresso lento na redução de novas infecções por HIV", segundo o autor principal do estudo, Haidong Wang, do Instituto de Métrica e Avaliação (IHME) da Universidade de Washington, em Seattle.

A situação pode ser agravada por causa da estagnação dos fundos para programas de HIV e Aids.
"Portanto, um aumento drástico dos esforços de governos e agências internacionais será necessário para atender a demanda de estimados US$ 36 bilhões todos os anos para realizar o objetivo de acabar com a Aids até 2030", disse o diretor do IHME Christopher Murray em uma nota.

Nos últimos 15 anos, os países contribuíram com US$ 110 bilhões para programas de HIV e Aids.
Atualmente existem cerca de 38,8 milhões de pessoas vivendo com HIV. Em 2000, havia 28 milhões de pessoas com o vírus. As mortes anuais por Aids caíram de um pico de 1,8 milhão em 2005 para 1,2 milhão em 2015.

Fonte: g1

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Cordel pelo dia Internacional pela eliminação da Violência contra a mulher

É com todo carinho, amor, dedicação e imensa alegria.
Saúdo a todos com a paz de Jesus e o amor de Maria.
E falar da eliminação da violência contra a mulher, em forma de poesia.

25 de novembro é um dia de muita conscientização.
Lutar conta a violência e também pela sua eliminação.
Para que as mulheres tenham seus direitos garantidos, com doação.

Mulheres que lutam com muita fé e também lealdade,
Por um trabalho digno e ser incluída na sociedade.
Terem seus direitos garantidos e serem respeitadas na comunidade.

Luta por uma sociedade mais justa, e contra a opressão.
Contra a violência verbal e até mesmo com agressão.
As mulheres merecem respeito, carinho, amor e atenção.

Portanto nesta data que é muito especial,
Conscientizamos as pessoas sobre esta problemática ilegal.
Lutar junto com as mulheres, por um mundo justo e legal.



Que esta data seja de muita conscientização.
Lutando contra a violência, e pela sua eliminação.
Que as mulheres sejam acolhidas nos lar, no trabalho com dedicação.

Lucinéia Azevedo Santos.
Tanque Novo -BA

segunda-feira, 21 de novembro de 2016

DNJ 2016 - São Paulo


No último domingo (20 de novembro), Ir. Sirley e a Postulante Janilde participaram da celebração do Dia Nacional da Juventude (DNJ) em são Paulo, com o tema “A Casa Comum”. 

Jovens, vindos todas as Regiões da Arquidiocese de São Paulo foram acolhidos na Paroquia Nossa Senhora Santa Ana, no bairro de Santana. O evento foi iniciado com a reza do terço, seguida da celebração Eucarística de forma festiva e animada, com forte da presença da juventude. Ao final da celebração, todos seguiram em caminhada até o Parque da Juventude no bairro do Carandiru, onde havia diversas tendas dos movimentos juvenis.

 “A Vida Religiosa estava na tenda da Pastoral Vocacional da Arquidiocese, e ali fomos falando com a juventude que ia passando sobre a vida Consagrada e os primeiros passos para um discernimento vocacional.”, menciona Ir. Sirley. 

O Encerramento do evento aconteceu às 18h00 com shows de bandas católicas.





 


domingo, 20 de novembro de 2016

O Reino de Cristo

No último domingo do ano litúrgico, a Igreja  celebra a Solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo, Rei do Universo. Essa celebração introduz a comunidade dos fiéis no  ministério do Reino de Deus, que, apesar de estar presente em germe na Igreja, se desvelará plenamente no fim dos tempos. A festa de Cristo Rei foi instituída pelo Papa Pio XI em 1925. Quando da sua instituição, esta festa era celebrada no último domingo de outubro. Depois da reforma litúrgica, passou para o último domingo do tempo comum, mostrando assim que tudo deve se dirigir para Cristo, alfa e ômega, isto é, princípio e fim de todas as coisas. Este sentido da festa pode ser captado pela oração da coleta: "Deus eterno e todos-poderoso, que dispusestes restaurar todas as coisas no vosso amado Filho, Rei do universo, fazei que todas as criaturas, libertas da escravidão e servindo à vossa majestade, vos glorifiquem  eternamente".

O tema da realeza de Cristo tem sua origem na Escritura, foi conservado nos símbolos de fé da Igreja e aprofundado pela teologia, possuindo acentos próprios para a vivência cristã. é um assunto importante, pois manifesta algo da realidade final já presente na história dos homens.

Na pregação e nos atos de Cristo se revela a natureza real do Reino de Deus. Esse Reino é, fundamentalmente, abertura divina para a comunhão com os homens. Tal abertura acontece na amorização, na reconciliação, na conversão e no reerguimento das pessoas por meio do ministério de Jesus: "Pois, por meio Jesus, nós, judeus e gentios, num só Espírito, temos acesso ao Pai" (Ef 2,18). Jesus Cristo é o próprio Reino de Deus na medida em que Ele é o reconciliador e o protótipo da união  entre o divino e o humano. A presença desse reinado vai se expandindo conforme os homens vão se entregando à vivência do amor divino, se tornando capazes não só  de serem amados, mas também de corresponderem a esse amor: "O primeiro mandamento é: 'Ouve, ó Israel, o Senhor nosso Deus é o único Senhor, e amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todo o teu entendimento e com toda a tua força" (Mc 12,29-30).

A Igreja - Corpo místico de Cristo - é o germe da presença do Reino no meio da humanidade. Cabe a ela a missão de prolongar a obra de comunhão e de reconciliação entre Deus e os homens: "Sendo assim, em nome de Cristo exercemos a função de embaixadores e, por nosso intermédio, é Deus mesmo que vos exorta. Em nome de Cristo suplicamo-vos: reconciliai-vos com Deus" (2Cor 5,20). Assim, através da celebração doa sacramentos, a comunidade eclesial comunica as forças de comunhão e de perdão aos fiéis. Por sua vez, os cristãos são chamados a experimentarem a força desse Reino nos seus relacionamentos: "O segundo mandamento é este: Amarás o teu próximo como a ti mesmo" (Mc 12,31). Dessa forma, o reinado de Cristo se manifesta nas relações entre os homens, marcadas pelo sinal do amor, da justiça, do perdão e da misericórdia.

Embora o Reino de Deus tenha entrada na história  por meio do ministério de Jesus e esteja se prolongando na presença e no serviço da Igreja, ele não se realizará plenamente neste mundo: "Meu reino não é deste mundo [...], meu reino não é daqui" (Jo 18,36). O mistério total de comunhão com a Trindade e da fraternidade humana só acontecerá na derradeira Páscoa de Igreja.

Assim sendo, a Solenidade de Cristo Rei quer infundir uma tríplice luz nos fiéis: a memória chegada do Reino por meio do Senhor; a atualização da vocação e da missão eclesial de ser germe desse reinado entre os homens; e a abertura do coração à esperança do dia final no qual o Reino  de desvelará plenamente, a fim de que Deus seja tudo em todo (1Cor 15,28).

Texto com adaptações
Fonte: Jornal Testemunho de fé- Novembro 2015