segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Dia da Consciência Negra


Vivemos num mundo em que o preconceito, o racismo e a exclusão são ainda muito marcados. 

Vivemos num mundo em que o negro será sempre visto como marginal, analfabeto, incompetente, pobre e mão-de-obra barata.

Vivemos num mundo em que a luta e a busca incansável da conquista da liberdade e dos direitos dos negros ao longo da história não terminam. 

Vivemos num mundo em que a sociedade não aceita cotas, mas julga a pessoa pela cor, raça ou religião.

Vivemos num mundo onde todos os dias cinco jovens negros são mortos pela polícia, muitas vezes inocentes, honestos e trabalhadores, porque o plano é de exterminar com a raça negra. Mas como acabar? Se 51% da população brasileira é negra. 

Vivemos num mundo onde o jovem negro sai às ruas gritando por justiça e igualdades de oportunidades, porque não conseguem um emprego, ou não conseguem ingressar á uma Universidade.

Que neste dia, todos nós, possamos refletir sobre isso e lutar por um mundo mais humano, em que a união reine entre nossa sociedade, e que o preconceito seja vencido porque aos olhos de Deus somos todos iguais e fomos feitos para vivermos como irmãos.

Marlene Bravo – OSR.

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

Dia da Proclamação da República

"Senhor, atendei à nossa oração e ao nosso pedido de misericórdia, ó Senhor, meu Deus.
Ouve o clamor e a oração que fazemos hoje na tua presença.
Estejam os teus olhos voltados dia e noite para o Brasil. 
Pelas Santas Chagas de Jesus, libertai-nos de toda influência maligna.

Senhor Deus, que os teus olhos estejam abertos e teus ouvidos atentos às orações feitas neste país. Colocai esperança em nosso coração nesse tempo de crise, dai-nos união, Senhor.
Não sabemos em quem confiar e no que confiar, 
por isso depositamos toda nossa confiança em Vós, Senhor.

“Nossa vitória não virá dos carros e cavaleiros, mas sim do teu auxílio e proteção”.
Ó Deus, não rejeiteis esse povo. Lembra-te da tua Mãe, Padroeira do Brasil, Nossa Senhora Aparecida, e não cessais de nos abençoar por sua intercessão.

Nossa Senhora, que das redes vazias no rio Paraíba trouxe prosperidade para todos os pescadores, reapareça em nossa história trazendo prosperidade para o teu povo."

Amém!
(Movimento de Oração pelo Brasil- Pe. Reginaldo Manzotti)


Que o Senhor abençoe a nação brasileira 
e que a voz do povo que vem das ruas seja ouvida com atenção.

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

Dia Mundial da Gentileza

A ideia para o Dia Mundial da Gentileza surgiu no ano de 1997 durante uma conferência em Tóquio, onde reunia grupos de diferentes nações que mantinham em seus países movimentos e ações de gentileza. Após o desenvolvimento dessa ideia, durante a Terceira Conferência do Movimento Mundial pela Gentileza, em dezembro do ano 2000, foi oficialmente lançado o Dia Mundial da Gentileza, com o objetivo de inspirar as pessoas a serem mais gentis, estimular todas as nações a criarem seus próprios movimentos, conectar países e pessoas para que possam viver num mundo mais gentil.

No dicionário a palavra Gentileza significa Comportamento distinto; em que há nobreza e/ou elegância; com sinônimos como: atenção, afabilidade, amabilidade, cortesia, delicadeza, educação, graciosidade...

Porém na atualidade, vemos que esta ação de gestos simples está em falta nas pessoas. Por mais que estejamos num momento social difícil, ser gentil é o primeiro passo para mudar o mundo ao nosso redor, e para realizar essa grande mudança, temos que ser gentis conosco. É importante buscar o perdão, a paciência e a generosidade, assim nosso coração fica leve, grato e aberto para a felicidade e fazer as outras pessoas felizes.

Ainda tá difícil realizar as dicas acima? Temos alguns passos que podem ajudar:

Sorria - Quer coisa mais simples que sorrir? O seu sorriso pode mudar o dia de alguém, e inclusive o seu. Este simples gesto traz serenidade, simplicidade e amor. Então abra um sorriso, por mais tímido que seja, vai aos poucos tomando conta do seu rosto e assim do seu coração.

Ajude as pessoas - Ajude no que você puder, como oferecer o lugar no ônibus, ajudar alguém com dificuldades para atravessar a rua, entre outras coisas...  Faça o que estiver ao seu alcance! Para você pode parecer pouco, mas para quem recebe a ajuda é muito importante. 

Aprenda a ouvir - É aprender a silenciar a boca e a mente. Estamos num mundo com muitos ruídos externos, sem conseguir ter atenção no que nos falam. É importante abrir os ouvidos para escutar de verdade, e como é bom quando alguém para nos ouvir com atenção.

Respeite as opiniões diferentes - Atualmente vivemos num bombardeio de opiniões, que muitas vezes dá em confusão quando alguém tem um pensamento diferente. Com as redes sociais percebemos o quanto está escasso o respeito à opinião alheia em algumas situações, mas é preciso entender que as pessoas são diferentes e trazem em si realidades e experiências de vida distintas. Sempre que você estiver num caso assim, é importante voltar ao passo anterior e ouvir seus argumentos e de quem é diferente de você.

A gentileza é algo contagiante, pois é um gesto que vem do coração e não é obrigação! Em alguns momentos complicados é importante colocar as dores, o orgulho de lado, respirar fundo e trazer as coisas boas que já vivemos, que enche nosso coração de alegria, e transmitir a diante a gentileza, delicadeza e acima de tudo educação!

É importante ser gentil sempre! Faz bem para vida, e temos que lembrar que as mudanças se realizam, quando a gente começa a mudar as atitudes em nós mesmos. 

Então Seja Exemplo, Viva, compartilhe e gere Gentileza!



Paula Araújo (Com.PJVO)
Fonte:nossacausa.com / 

quinta-feira, 2 de novembro de 2017

A Espera no Redentor

Celebrar finados não é chorar a perda daqueles e daquelas que partiram deixando saudades, muito menos vazia lembrança de pessoas que já estiveram entre nós. Finados é celebração de esperança, oração por aqueles que estão redimidos, força para o nosso desejo de encontro com o Redentor de toda história. 

Finados deve ser o dia do encontro. Primeiramente, encontrar com os que aqui estão: nossa família, amigos, companheiros de trabalho e saber que caminhamos  juntos e juntas. Os que ainda lutam neste mundo precisam unir suas mãos. Em segundo lugar, o encontro deve ser consigo mesmo; deparar-se com o medo real da morte e também com a fé na ressurreição, sabendo que nossa vida não é apenas temporal, mas alcança a plenitude dos tempos. E, em terceiro lugar, de forma alguma menos importante, o encontro deve ser com o Cristo Redentor de nossa vida. Perceber Nele a razão da existência e sentir que Nele estão as respostas de tantas perguntas construídas ao longo de nossos anos.

Todos os ritos que vivemos no dia de Finados e nos momentos da perda de alguém querido devem nos conduzir à esperança. Vazia seria nossa fé se não acreditássemos na Vida Sem Fim. Nosso difícil recordar, nosso choro, as flores, os cantos, as velas, as orações... tudo deve ser testemunho de um amor eterno. Assim, não há limites para o amor, não há reservas em amar alguém, não há barreiras para perdoar o outro, nem há razão para desistir da felicidade: as sementes que lançamos aqui, desde pequenos a grandes gestos, alcançam muito além dos nossos dias terrenos. Precisamos entender a vida assim: semente lançada almejando frutos eternos. O tempo não para. Mas o tempo Kairós, tempo de Deus, além de nós mesmos e dos limites do mundo, não ficará no passado, sempre estará no futuro.

Texto de: Ederson Rodrigo de Andrade – Redentorista, com adaptações.

Ao final deste texto lembramos das nossas irmãs que já repousam seu coração no Eterno Amor, à elas a nossa gratidão pelos exemplos que nos deixaram para que possamos ser doadores de vida e testemunhas vivas da espera no Redentor.



quarta-feira, 1 de novembro de 2017

Dia de todos os Santos

Neste dia primeiro de novembro, onde é celebrado o Dia de todos os Santos, gostaríamos de refletir com você que acompanha nosso Blog, que para ser santo não precisa muita coisa. Só precisa de você do jeito que você é, com sua fé e amor no coração. Em uma de suas mensagens, o Beato João Paulo II nos mostra que nossa simplicidade, nosso jeito de ser e nosso amor a Deus nos leva a sermos santos.

Precisamos de Santos sem véu ou batina.
Precisamos de Santos de calças jeans e tênis.
Precisamos de Santos que vão ao cinema, ouvem música e passeiam com os amigos.
Precisamos de Santos que coloquem Deus em primeiro lugar, mas que se "lascam" na faculdade.
Precisamos de Santos que tenham tempo todo dia para rezar e que saibam namorar na pureza e castidade, ou que consagrem sua castidade.
Precisamos de Santos modernos, Santos do século XXI com uma espiritualidade inserida em nosso tempo.
Precisamos de Santos comprometidos com os pobres e as necessárias mudanças sociais.
Precisamos de Santos que vivam no mundo, se santifiquem no mundo, que não tenham medo de viver no mundo.
Precisamos de Santos que bebam Coca-Cola e comam hot dog, que usem jeans, que sejam internautas, que escutem discman.
Precisamos de Santos que amem a Eucaristia e que não tenham vergonha de tomar um refrigerante ou comer pizza no fim-de-semana com os amigos.
Precisamos de Santos que gostem de cinema, de teatro, de música, de dança, de esporte.
Precisamos de Santos sociáveis, abertos, normais, amigos, alegres, companheiros.
Precisamos de Santos que estejam no mundo e saibam saborear as coisas puras e boas do mundo mas que não sejam mundanos.

"Jovens do mundo inteiro, tenham a santa ousadia, de serem os santos do novo milênio".
(Papa João Paulo II, Congresso da Juventude Feminina de Schoesntatt, Londrina/PR, 2000).


sexta-feira, 27 de outubro de 2017

Ser Missionária Oblata - Um Jeito de Ser e Estar no Mundo.

Quero compartilhar com todos e todas vocês que continuo sentindo-me chamada, pela graça de Deus e minha disponibilidade, a ser uma expressão da Ternura e Amor de Deus Mãe e Pai no meio do povo e concretamente na realidade das mulheres em situação de prostituição. No sentido de ir juntas abrindo novos caminhos de: Amor, Vida, de Justiça, de Luz e de Esperança.

Sinto que minha vocação como Oblata te sentido hoje por estas razões: 1) Porque continuo presenciando uma realidade de muita exclusão, ameaça à vida, violência, injustiça e ouço o apelo de Deus que se revela nesta realidade e me sinto chamada a fazer efetiva e afetiva a solidariedade no meio de uma sociedade que discrimina, culpabiliza e condena este grupo de mulheres.

A segunda razão porque diante de tanta desumanidade e ameaça à vida, eu como Ir. Oblata sigo acreditando na força do Reino e que faz sentido seguir Jesus Redentor, demonstrando com gestos concretos que Deus nos ama, sobretudo as mais pobres, que é a opção de nossa Congregação.

Juntas podemos tecer relações mais humanas e construir outro mundo possível onde o AMOR, a solidariedade, a acolhida das diferenças e fraternura são o Centro de tudo.

Ir. Manuela Rodríguez Piñeres 

domingo, 15 de outubro de 2017

Festa do Santíssimo Redentor: Revitalizando nossa essência

No terceiro domingo de outubro, as Irmãs Oblatas Celebram a festa do Santíssimo Redentor.  Para nós que fazemos parte da Família Redentorista, celebrar nosso Patrono é muito importante.

Como seguidoras do Cristo, o Messias Redentor de toda a realidade criada, nosso nome de Irmãs Oblatas do Santíssimo Redentor, expressa e sintetiza a espiritualidade e o carisma que se realiza na raiz da vocação de toda a Igreja: redimidas para levar a graça da Redenção a todos àqueles e aquelas que esperam ouvir a palavra de amor destinada por Deus, horizonte e sentido dos nossos caminhos. Lembramo-nos que somos convidadas a voltar à fonte inspiradora e ressignificar o seguimento de Jesus, desde a perspectiva de uma vida religiosa partilhada entre irmãs e leig@s, e desde a centralidade na vida e na palavra.

O Santíssimo Redentor, titular da Congregação, comunica-nos seu espírito de oblação ao Pai em favor dos homens. Por conseguinte em: “trilhar suas pegadas; espelhar-nos nos exemplos e ações de sua vida e, na medida do possível, fazer-nos semelhantes a Ele”. De modo que, transformadas à sua própria imagem sob a ação do Espírito que opera em nós, possamos na verdade repetir com o Apóstolo: “Para mim viver é Cristo”. (Constituições pág 26.).

A realidade desta Palavra Redentora, que encontramos copiosa junto dele, encontra-se diretamente ligada ao Mistério da Encarnação do Cristo, Revelação de um Deus, que por amor, quis ser parceiro da humanidade. Assim, a Redenção não é somente algo espiritual, no sentido pobre e fraco da palavra, mas sim, uma realidade que atinge toda a humanidade, reconduzindo-a ao caminho sonhado pela gratuidade criativa de Deus, pois tudo o que é profundamente humano, foi assumido pela graça divina.

Neste momento de Festa e comunhão com todas as Irmãs Oblatas do Santíssimo Redentor, somos convidadas a dar um mergulho nas nossas fontes e perceber o agir de Deus em nossa história e nos tornarmos tendas receptivas e generosas: Seguidoras de Jesus Redentor.

É tempo de agradecer e revitalizar a Vida Religiosa Oblata, através da nossa Espiritualidade LIBERTADORA, a partir do SEGUIMENTO DE JESUS no compromisso com a promoção e libertação da mulher em situação de prostituição.

Texto com adaptações.
Fonte: Revista de Aparecida